Sindicato angolano contra aumento do preço dos combustíveis

Sindicato angolano contra aumento do preço dos combustíveis

 Uma das maiores forças sindicais angolanas, a Central Geral de Sindicatos Livres e Independentes de Angola (CGSIlA) considerou hoje que o aumento do preço dos combustíveis vem “agravar ainda mais” a vida dos trabalhadores angolanos, sobretudo da função pública. 

 
 
Em declarações à Agência Lusa, o secretário executivo da CGSILA, Francisco Jacinto, disse que a medida do Governo deveria ter tido em conta o aumento salarial da função pública, que, este ano, foi de apenas 5,4 por cento. 
 
“O Governo de Angola pode vir dizer que nem todos os angolanos têm carros, mas é preciso também ter em conta que muitas pessoas ainda não têm o fornecimento de energia eléctrica, que as pessoas vivem de candeeiros e geradores e que, para isso precisam de combustível”, disse Francisco Jacinto. 
 
Em Angola, está em vigor, desde quarta-feira, uma nova tabela de preços dos combustíveis, que elevou o preço da gasolina de 40 Kwanzas (0,3 euros) o litro para 60 Kwanzas (0,5 euros), uma variação de 0,5 por cento, e o do gasóleo, que passou de 29 (0,25 euros) para 40 Kwanzas (0,3 euros), uma variação de 0,37 por cento. 
 
Um comunicado do Ministério da Coordenação Económica de Angola esclarece que esse reajuste não abrangeu o petróleo iluminante, o gás de cozinha e outros derivados do petróleo, acrescentando que o aumento do preço da gasolina e do gasóleo, decorre do estabelecido no Orçamento de Estado 2010 revisto, que contempla a redução dos subsídios, aos combustíveis em 20 por cento, numa base anual. 
 
Segundo Francisco Jacinto, essa medida do executivo angolano que, “de maneira nenhuma, a CGSILA concorda com ela”, vem contribuir “claramente” para “agravar ainda mais o quadro social dos trabalhadores angolanos, caracterizado por um fraco poder de compra”. 
 
O director nacional do Gabinete de Acompanhamento da Gestão Macroeconómica do Ministério da Coordenação Económica, Carlos Panzo, admitiu que a medida “vai ter algum impacto sobre a inflação, mas que acontece apenas nos primeiros momentos, esgotando-se ao longo do tempo”. 
 
Por sua vez, o presidente da Associação de Taxistas de Luanda (ATL), Manuel Faustino, disse que há seis meses apresentaram ao Ministério das Finanças uma proposta para o aumento da tarifa do táxi, que não teve qualquer resposta. 
 
“Nós já vimos falando disso há um ano, mas há seis meses apresentamos uma estrutura para podermos aumentar o valor da tarifa. Agora com mais esse incremento, vamos ter que repensar numa nova proposta, em que teremos em conta primeiro os passageiros”, disse Manuel Faustino. 
 
Actualmente, o preço estipulado pelo Ministério das Finanças de Angola para o táxi é de 50 kwanzas, todavia há algum tempo que os taxistas cobram o valor de 100 kwanzas, por causa do trânsito congestionado de Luanda e do estado das estradas, dois factores que dizem prejudicar o seu rendimento. 
 
A directora do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC), Elsa Barber, disse, em declarações à Rádio Nacional de Angola, que a sua instituição vai estar vigilante para que os comerciantes não realizem subidas de preços sem regras. 
 

Fonte: NL

Comentario

so lido...

joao paulo | 07-09-2010

Li uma entrevista de um analista economico Angolano sobre o porque do aumento do preco do combustivel e me deu vontade de rir,deu me vontade de rir sobre a maneir tecnica como ele formulou a sua resposta,confesso que nao sou nenhum analfabeto mas as palavras que esse analista usou estam acima do meu vocabulario,mas isso nao e de estranhar porque sempre que se quer embutir alguma coisa controversa em Angola hoje em dia usam se palavras caras,e nao sao so as palavras,tambem a formulacao da ideia por traz do assunto tambem baralha,porexemplo esse tal economista disse que o combustivel em angola e dos mais baratos dentro dos paises productores de petroleo...correcto,ate se pode ver neste grafico acima...Mas dizer que o salario medio em Angola e muito mais baixos que nos outros paises productores nisso ele cala se como um tumulo...e depois justifica que o aumento do preco tem a ver com o "reajustamento" e melhoria da distribuicao interna mas ele fecha se em copas em relacao ao documento human right watch(observador dos direitos humanos)que mostra que no ano de 2008 BILIOES de USD derivados da venda de petroleo angolanos desapareceram sem deixar rasto....enfim,isso as vezes parece uma comedia tragicomica...

Novo comentário

Reflexão da semana

Os Últimos Dias De Savimbi - José Gama

Entre os dias 4 e 8 de  Abril  de 2001,   a UNITA reuniu a sua direcção e militantes,  para reflectir estratégias naquilo que veio a ser  sua 16ª conferência partidária cuja discussão  interna  atribuía-lhe particularidades de  um congresso. O local escolhido foi a  área de saluka, na nascente do rio Kunguene, um afluente do...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>

 

www.a-patria.com      O portal de noticias de Angola

 

 

Clique no botão Play para tocar o Ipod!

As músicas tocarão automaticamente!



 

Publicite no nosso Site!