Reino Unido: detidos três homens por causa da morte de angolano deportado

Reino Unido: detidos três homens por causa da morte de angolano deportado

 Até ao momento não existem informações de alguma prestação de solidariedade da embaixada angolana no Reino Unido para com a familia do malogrado(esposa e filhos). A comunidade angolana naquele país reagiu á morte deste compatriota de diferentes maneiras: alguns, chatiados com o ocorrido, pretendem organizar uma manifestação defronte ao "Homem Office" - departamento dos serviços de imigração e fronteiras. Outros, reagem com a maior indiferença. Ainda uns poucos questionam a verdadeira nacionalidade do compatriota em causa.

 
A polícia britânica deteve três homens por causa da morte de um cidadão angolano, no momento em que estava dentro de um avião da British Airways, no aeroporto de Heathrow, em Londres, pronto para ser deportado para Luanda.
 
A notícia está a ser avançada pelo diário londrino «The Guardian», na sua edição electrónica.
 
Jimmy Mubenga, de 46 anos, e pai de cinco filhos, estava na capital britânica desde 1994. Mas uma rixa num bar valeu-lhe dois anos de cadeia. Cumprida a pena, passou por um centro de detenção de imigrantes. Tentou evitar ser deportado, mas não conseguiu.
 
Segundo os relatos feitos por passageiros que se encontravam dentro da aeronave da British Airways, no dia 12 de Outubro, Mubenga estava sob a escolta de três seguranças civis da empresa G4S, que tinham como missão levá-lo até Luanda.
 
Já sentado dentro do avião, o angolano terá tentado levantar-se, gritando que não queria «ir» para Angola e que o pretendiam «matar». Os seguranças dominaram-no com violência, de acordo com os relatos dos passageiros, colocando-se em cima dele. Jimmy Mubenga ter-se-á queixado que não estava a conseguir respirar. Mas não lhe foi feito caso até perder a consciência. Foi levado para um hospital londrino, onde foi declarada a sua morte.

 

 

[Noticia em desenvolvimento]

 

 

 

Jimmy Mubenga(na foto) viu o pedido de asilo ser-lhe negado e foi deportado. Já no avião, foi algemado e contido, com força excessiva, por três seguranças privados contratados pelas autoridades do Reino Unido. Implorou por ajuda porque não conseguia respirar. Desmaiou e já no hospital foi declarado morto. A Scotland Yard abriu um inquérito.

 
A transformação do Reino Unido numa fortaleza e a forma como a UK Border Agency (agência de controlo das fronteiras do Ministério do Interior) efectua deportações, "usando quase todos os meios possíveis", está no centro da mais recente polémica naquele país europeu. No centro do furacão está a empresa privada de segurança, a G4S, contratada pelo Ministério do Interior (MI) para escoltar os deportados até aos respectivos países de origem.
 
Na origem da polémica está a morte de Jimmy Mubenga, um cidadão angolano de 46 anos que pediu asilo no Reino Unido. Mubenga foi declarado morto no hospital Hillingdon, em Londres, para onde foi transportado de urgência após ter perdido a consciência num voo da British Airways, que estava marcado para terça-feira de manhã e acabou por ser adiado devido a este incidente.
 
"Não consigo respirar. Não consigo respirar"
 
Ontem surgiu a primeira denúncia contra a actuação dos seguranças. Kevin Wallis, um passageiro que estava sentado no mesmo corredor que o angolano, disse ao jornal The Guardian que viu Mubenga ser contido com excessiva força e ouviu-o queixar-se de falta de ar. "Não consigo respirar. Não consigo respirar", terá dito várias o angolano, durante dez minutos, antes de ter perdido a consciência.
 
Wallis apelidou de "disparate absoluto" a versão do MI de que Mubenga estava doente. A testemunha disse que ouviu o angolano gemer e suspirar, indiciando que se estava a sentir indisposto, e que viu os seguranças rodearem e segurarem Mubenga no seu lugar quando este tentou levantar-se, dizendo que não queria voltar a Angola.
 
"Sabendo que ele estava algemado, diria que fizeram demasiada pressão [sobre Mubenga]. Ele devia estar sob uma dor e pressão horríveis", afirmou Wallis ao The Guardian.
 
Uma declaração corroborada por outra testemunha, que estimou que os seguranças estiveram "em cima" do angolano durante 45 minutos, enquanto este dizia repetidamente: "Eles vão matar-me. Eles vão matar-me." Ninguém percebeu se ele se referia aos seguranças ou a inimigos em Angola, onde já cumpriu sentença por agressão durante distúrbios num clube nocturno.
 
 
'Enfiado pelo banco abaixo'
 
 
Mubenga já se encontrava perturbado e em agonia quando entrou no avião, levando a que os outros passageiros fossem obrigados a mudar para lugares situados na parte da frente a aeronave.
 
"Ele estava 'enfiado pelo banco abaixo' porque os seguranças estavam a pressioná-lo. Apenas víamos o topo da sua cabeça ou ouvíamos o som abafado [das suas palavras] porque os seguranças estavam em cima dele", afirmou esta testemunha, que pediu para não ser identificada.
 
Entretanto, um norte-americano de 51 anos contactou o The Guardian para desmentir as alegações do MI sobre o incidente. Este trabalhador da indústria petrolífera disse que a morte do angolano o vai perseguir para sempre- "Poderia eu ter feito alguma coisa? Esta dúvida vai incomodar-me cada vez que for deitar-me", disse esta testemunha, alegando que não se envolveu por "medo de ser expulso do voo e de perder o emprego". "Mas aquele homem pagou um preço mais alto do que aquele que eu poderia vir a pagar."
 
Michael confirmou que ouviu Mubenga queixar-se de que não conseguia respirar: "Tenho a certeza de que será asfixia [causa de morte oficial]. A última coisa que ouvimos o homem a dizer foi que não conseguia respirar. Eram três seguranças, cada um parecendo pesa mais do que 100 quilos, empurrando e segundo-o no lugar, pelo que eu conseguia por debaixo dos assentos."
 
Isto enquanto o angolano tentava gritar "ajudem-me!". "Ele continuava a dizer 'ajudem-me, ajudem-me'. Foi então que desapareceu debaixo dos assentos. Conseguia-se ver os três seguranças sentados em cima dele. E foi então que ele ficou quieto", continuou o norte-americano, perguntando porque não foi Mubenga retirado do avião se representada um risco tão elevado ao ponto de ter sido alvo de força excessiva.
 
 
Ouça aqui em inglês, o depoimento de Michael, testemunha que assistiu o episodio mas que lamenta não poder ter feito nada para ajudar, clique AQUI
 
Não há coincidência nos testemunhos relativamente ao tempo em que os guardas pressionaram o angolano, mas os restantes detalhes dos relatos são semelhantes: a agonia de Mubenga ao entrar no avião, a pressão exercida pelos três seguranças, os gritos do angolano a pedir ajuda e a dizer que não conseguia respirar e a inacção por parte dos outros passageiros.
 
 
"Jimmy era um homem bom e batalhou muito pela vida", diz esposa do malogrado
 
Esposa de Jimmy Mubenga, Makenda Kambana: "as crianças não param de chorar", diz a viúva.
 
 
Jimmy Mubenga falou a ultima vez com a sua esposa, já sentado no avião da British Airways 77 no aeroporto Heathrow de Londres, no meio dos dois seguranças privados com a missão de mante-lo preso no voo, até Luanda. O homem de 46 anos que estava numa luta desesperada de 15 anos para permanecer no Reino Unido, lhe foi permitido fazer uma chamada enquanto o avião ainda se preparava para pegar voo. 
 
"Ele parecia tão triste", diz a esposa. Ele só dizia: "Eu não sei o que vou fazer da minha vida, eu não sei o que vou fazer", acrescenta a esposa. Depois ele disse: Mas ok, desliga so o telefone que eu depois volto a te ligar. Eu fiquei a espera mas ele nunca ligava de volta" diz Makenda Kambana, companheira do malogrado por mais de 15 anos. 
 
Mubenga, pronunciado morto 1 hora mais tarde após esta conversa com a sua esposa, esteve no Reino Unido por mais de 16 anos.
 
"Sinto me tão triste, não sei o que fazer...talvez se eu estivesse lá, para lhe ajudar, não sei...as crianças não param de chorar e eu não sei o que dizer pra elas", lamentou a esposa do falecido. 
 
Ouça as declarações da esposa de Jimmy(em inglês) clicando AQUI.
 
 
A admnistração do "a-patria" está evidar esforços no sentido de trazer a reação da comunidade angolana residente naquele país, se possivel também das autoridades angolanas atravéz da embaixada angolana no Reino Unido. 
 
Apelamos as autoridades angolanas, tanto as no Reino Unido(representadas na embaixada e consulados) quanto em Angola, no sentido de apurar e exigir responssabilidades em relação ao acontecido. Apelamos igualmente a solidariedade de todos os angolanos, quer em Angola, quer na diaspora, bem como das autoridades angolanas, no sentido de prestarmos apoio moral, espiritual, material ou de outra forma á esposa e filhos do malogrado, que é no final das contas, nosso compatriota. 
 
 
Fonte: DN/www.a-patria.com
 
 

Comentario

Luanda

Rossana Rita | 21-10-2010

Caros amigos, esta notícia chocou-me muito como ser humano e mais ainda como angolano.
Para quem conhece o comportamento da Polícia na Grã-Bretanha, sabe que este tipo de cenas violentas poderia ter acontecido com qualquer um de nós.
Imaginem que em vez de ser um angolano morto ao ser deportado pelos agentes de imigração britânica, fosse morto um cidadão britânico ao ser deportado por agentes de imigracao de Angola.
De certeza que neste momento esta tragédia seria divulgada de forma muio agressiva e a publicidade negativa que Angola iria receber estaria espalhada pelo mundo inteiro, sem esquecer a forma como os angolanos seriam vistos e tratados pelos órgãos de imigração da Grã-Bretanha.
E claro que o governo da Grã-Bretanha e a população em geral iria exigir contas aos organismos angolanos. Pois bem, sendo que a vítima angolana, gostaria que os órgãos de informação e organismos do Estado façam pressão aos serviços de migração e estrangeiros do Reino Unido e da Polícia daquele país de maneira a assegurar que os autores deste crime sejam levados à Justiça.
Sabemos que a população britânica não deixaria que um caso deste tipo passasse em branco se a vítima em questão fosse britânica.

a vida de nos negro e mesmo assim

Rud João Artur | 19-10-2010

tanto que agente considera a pele branca no nosso país,ve so ate que ponto a nossa raça pode chegar na europa, ponho a minha mao no fogo que se fosse um branco em angola, não seria tratado da mesma maneira

Re:a vida de nos negro e mesmo assim

junior | 20-10-2010

os dirigentes angolanos em angola teem medo dos brancos, ate preferem k as filhas casem com brancos, o mpla esta a destruir o noso pais people wake up!

Para quê duvidar da nacionalidade do compatriota em causa?

Patriota e realista | 19-10-2010

Todo angolano que questiona a nacionalidade destes compatriotas so baseado no nome ou na aparencia sao uma vergonha não só para Angola mas para toda a África e para toda a raça negra. O momento é de nos unirmos, principalmente agora que a europa está de rastos.

justiça

Benguense | 18-10-2010

Ó NGOLANO DE GEMA, NÃO TENS RAZÃO. PORTANTO, DOU A RAZÃO AO HAF

Black POWER

Marcus Garvey | 17-10-2010

Ë assim que nós os africanos somos tratados na europoa infelizmente! Africa UNITE.

AFRICA FOR AFRICANS!

Xatiado com a noticia

Zeca diabo | 17-10-2010

Todos os brancos sao racistas sem excepçao!

Ps: O que muitos deles fazem em Angola, terra de pretos?

Os meus profundos sentimentos

Jurema | 16-10-2010

Os meus pesames a esta familia e k a paz de cristo repouse sobre ela, amén!

Acontecimento triste, este

Zeca diabo | 16-10-2010

Jose Eduardo dos Santos tá nem aí! Aquele é cinico mais que cinico. Nao liga os angolanos. E na visao do MPLA, a culpa é deste angolano que foi pedir asilo porque Angola ta boa e nao ha motivos para pessoas irem pedir asilos. Enfim, nao vao fazer absolutamente nada. Se fosse algum angolano das familias DELES tudo bem. Mas como é zé ninguem...

Re:Acontecimento triste, este

Angolano | 17-10-2010

Nao se pode falar a toa, mesmo que nao gostas do presidente ou do partido que governa o pais.
se tivesses no poder o que farias? éis cidadao angolano,deve dar o teu ponto de vista isto é normal, mas dizer que o estado angolano nao irà fazer nada,também nao corresponde a verdade.

incrivel!

mickey mouse | 16-10-2010

Mas como e que estes europeus vao deportar um pai de familia deixando os filhos e a mulher na inglaterra??!!isso nao poem qualquer um em estado de uma loucura??bem,eu nao sou contra deportacao,se alguem nao esta legal num pais deve ser repatriado conforme a lei vigente nesse pais,mas existem limites!nao podem separar familias pah...ou deportavam(mulher e filhos) todos ou que deixassem o homem tar quietinho na inglaterra...agora estam a dizer que ele ja estava doente(mais um motivo pra que esses snobs ingleses mostrasssem humanidade com esse avilo),ZEDU,em vez de fazeres discursos sem eira nem beira poem as calcas e protesta junto a instancias competentes seu serralheiro...

dente por dente olho por olhos,,contra mulatos e creolos do mpla

cilili vali | 16-10-2010

os meus pesames pelo nosso compatriota.era melhor se fosse com os mulato ou creolo disfarsados de angolano.
o vosse dia esta chegar lusos tropicais creolos do mpla.
veja que o angonoticias por ser do jorge neto um tál creolo ao serviço da familia do ditador não passou esta noticia tão importante, se fosse para denigrir a imagem dos lider da opsição ele seria o primeiro. mas não esqueça jorge neto que esta angola esta cheio de laminas um desses dia vai se cortar.

soyo-norte de angola

angolano de gema | 16-10-2010

algo me diz que sao langas :)

Re:soyo-norte de angola

Haf | 16-10-2010

Algo te diz que são langas porque és estúpido!!!

Re:Re:soyo-norte de angola

Jurema | 16-10-2010

Bem dito HAF gostei da tua replica hahaha.

Re:Re:soyo-norte de angola

angolano de gema | 16-10-2010

eles nem têm nomes angolanos...

Re:Re:Re:soyo-norte de angola

Ao angolano de gema | 17-10-2010

Óh seu burro ao quadrado, antes pelo contrário eles têm nomes puramente africanos, e não nomes importados dos teus colonizadores portugueses, que concerteza também tens. Seu colonizado atrasado!

Re:Re:Re:Re:soyo-norte de angola

Afonso Manje | 18-10-2010

Cada qual com a sua opinião "a vida humana so deus deveria retirar". mas na minha opinião deveriam ser deportados para a RDC, minha opinião, pois me parecem langas mesmo. É sabido que os vizinhos do norte ao contrario de os do Sul nã valorizam a patria e veem a vida facilitatda com a nacionalidade angolana e com a currupção em Angola qualquer consegue um passaporte, mas que são langas devem mesmo ser.

Re:Re:Re:Re:Re:soyo-norte de angola

Tira-teimas | 19-10-2010

Baseado em quê que tu dizes que eles não são langas? Vamos ao debate!

Re:Re:Re:Re:Re:soyo-norte de angola

sunga muxima | 20-10-2010

Voçês ainda não deram conta do cerne da questão!...o problema em causa é a nossa dimensão humana e de solidariedade para com os nossos imãos e compatriotas, seja em Angola ou na diáspora. Ser Langa o que é?...é um ser inferior? não tem direito a vida? não tem direito a respirar como aconteceu neste hediondo crime por asfixia? Ele pode sim, ser Langa ou Angolano, mas é ser-humano que é a coisa mais preciosa que deus pôs na face da terra, ele tem nome Africano, que é o mais importante e é aí onde nós como Africanos, aproveitariamos repúdiar mais uma vez estes actos barbáros e hostís que nós Africanos temos vindo a ser alvo em toda velha Europa. É preciso gritar, é preciso repúdiar sempre actos vergonhosos como estes, porque são os Europeus que dizem ser a raça civilizada. Muitos Africanos realmente não aceitam regressar a sua terra-mãe, porque na sua maioria, já construiram as suas vidas na Europa, voçês acham um homem como o nosso malogrado Mubenga, o que é que faria em Angola? ele com cinco filhos pra sustentar na inglaterra, mesmo sendo Langa como não ahahah?...voçês estão de acordo com a atitude dos seguranças igleses assassinos irmãos?...Antes de comentár-mos certos assuntos, temos que ter sempre em conta a sua amplitude e dimensão perceptiva, senão corremos sempre o risco de nos tornar uns autênticos infantis, brincando ao corre-corre numa creche.

alemanha

zezé zinho | 16-10-2010

Os europeus nos tratam assim mas nos nossos países sao tratados como deuses e ate se gabam. Isto é PURO RACISMO, sera que fariam o mesmo a um árabe? Ou a um Turco? Só mesmo aos negros e aos africanos, por isso angolanos e africanos vamos nos unir, e a uniao tem de começar por corremos com os corruptos nos países que nos governam porque nem o zedu nem o mpla estao nem aí, vao dizer : "quem lhe mandou ir em Uk se em angola esta tudo bem, temos a economia que mais crece no mundo"? Francamente é demais!

Re:alemanha

ex-colono | 17-10-2010

O europeu em África tem de facto tratamento como se fossem deuses.Os africanos dão-lhes casa social, rendimento adequado, segurança, um sos racismo para proteger a minoria, assistência legal de borla se forem incomodados.Os europeus são cada vez mais em África!A viver dos coitadinhos dos africanos.Que nunca, mas nunca fizeram nadinha aos europeus de maldade.Nada de regressos em massa, nada de prisões e fuzilamentos arbitrários, de roubos descarados de assassinatos nunca resolvidos pela "justiça" africana.Lá lata não lhes falta...

Re:Re:alemanha

zezé zinho | 17-10-2010

diga lá quem procurou primeiro quem? quem veio a africa primeiro? nao sao voces? vieram fazer o que? porque é que nao consseguem deixar a África ate hoje? nos os africanos estamos a imigrar na europa so apartir das decadas de 50-60, enquanto que voces começaram no seculo 15 e ate hoje, famintos e feiticeiros como sao, nao nos deixam em paz, seus malandros e gatunos!Os que vivem do vosso social ai na europa vivem de um direito MERECIDOI tendo em conta que voces exploraram as terras deles por mais de 400 anos ok? falam mal dos pretos mas adoram a nossa terra, as nossas comidas e a nossa cultura seus tristes!portugal é a cauda da europa...

Re:Re:Re:alemanha

ex-colono | 18-10-2010

É o que eu digo a rapaziada tem um grande ego e julga-se duma classe superior.Essa da "exploração" de 500 anos só é para idiotas.Durante séculos angola foi só ponto de passagem.Só no sec xx é que se iniciou a "descoberta" do interior com viagens ao estilo do Serpa Pinto.Portanto até aí o tal "escravizado" poderia ter tido a oportunidade de ter criado civilização... mas onde é que ela está?
Portugal está na cauda da Europa devido aos comunistas internacionalistas mas mesmo assim está sendo "colonizado" pela africanidade que para aqui vem até de bóia de pneu...pois "recebe" até sem trabalhar.Já está a chegar ao fim essa fase.Aliás bastava Portugal ver-se livre da despesa improdutiva de 10% dessa africanidade para deixar de ter CRISE... percebes ó racista?Pior do que cego é aquele que não quer ver.
Agora andam por aí tugas?Que novidade!Eles andam por todo o mundo.Mas trabalham, investem, fazem comércio e não vivem por conta de ninguém
Os angolanos ou outros africanos que venham ao puto nessas circunstância são bem vindos.Explorar o branco?Não...

Novo comentário

Reflexão da semana

Para Compreender melhor a Costa do Marfim - Justino Pinto de Andrade

 Na foto: vista da cidade de Abidjan, a capital económica da Costa do Marfim    1. A minha memória regista uma interessante imagem de 1984, o ano em que conheci a Costa do Marfim, quando fui frequentar um curso sobre Análise e Gestão de Projectos patrocinado pelo Banco Africano de Desenvolvimento, e destinada a quadros superiores de vários países africanos....
<< 4 | 5 | 6 | 7 | 8 >>

 

www.a-patria.com      O portal de noticias de Angola

 

 

Clique no botão Play para tocar o Ipod!

As músicas tocarão automaticamente!



 

Publicite no nosso Site!