Libéria Presidente demite governo antes das eleições de 2011

Libéria Presidente demite governo antes das eleições de 2011
 
Monróvia - A presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, anunciou hoje (quinta-feira) em Monróvia, a demissão dos seus ministros, com a excepção de um, afirmando projectar "novas bases" de governação antes das eleições gerais de 2011, noticiou a AFP.
 
" A presidente Ellen Johnson Sirleaf, solicitou quarta-feira o seu conselho de ministros a entrar de férias administrativas, com efeitos imediatos ", indica um comunicado do governo.
   
A chefe de Estado precisou que a razão desta medida tem haver com o "período crítico" que atravessa a sua administração, considerando que essa mudança lhe dá a possibilidade de projectar novas bases de governação para ir avante. 
   
O comunicado precisa que um novo governo será formado no "mais curto espaço de tempo possível", e que vários "ministros exonerados" poderão integrar o futuro executivo.
 
O único ministro ainda em funções, é o dos Assuntos presidenciais, Edward McClain.
 
Ellen Johnson Sirleaf, primeira mulher eleita presidente em África em 2005, indicou por outro lado, que várias instituições governamentais conhecerão o mesmo destino. "Pretendo que esta administração seja o mais eficaz possível para ir avante ", disse a presidente.
   
As eleições gerais (legislativas e presidenciais), estão previstas para Outubro de 2011 na Libéria, país que entre 1989 e 2003, viveu um período de guerra civil sangrenta, que causou cerca de 250 mil mortos e meio milhão de deslocados.
  
 O rival derrotado de Ellen Johnson nas eleições presidenciais de 2005, o antigo vedeta internacional de futebol, Georges Weah, manifestou a sua disposição de se apresentar uma vez mais às presidenciais.   
   
O seu partido, o Congresso para a mudança democrática (CDC), concluiu recentemente uma aliança com o Partido da liberdade, dirigido por Charles Brumskine, eminente personalidade da oposição, com vista a uma candidatura única.
   
A presidente liberiana, candidata para um segundo mandato, não obstante a sua promessa anterior de não voltar a se candidatar, será igualmente oposta ao antigo "senhor de guerra", Prince Johnson.
   
Prince Johnson, é visado por um relatório da Comissão de Verdade e Reconciliação da Libéria, que solicita a sua comparência em juízo e por isso não pode ocupar funções oficias durante 30 anos.
   
Se essas recomendações da Comissão forem aplicadas, o mesmo não poderá ser candidato às presidenciais.
  
"A presidente apoiou-nos durante a guerra. Ela ajudou-nos a resolver os nossos problemas financeiros. Ninguém nos pode impedir de se apresentar às eleições, porque fizemos a guerra, toda a gente fez parte dela, incluindo Ellen Sirleaf," disse.
 
A presidente Sirleaf figura igualmente na lista das pessoas que a Comissão da Verdade e Reconciliação acusa de ter financiado a guerra e apoiado os chefes de guerra entre 1989 e 2003 e, com base nisso, não deveria exercer funções oficias.
 
 
Fonte: Angop
 
 
 
 

Comentario

Não foram encontrados comentários.

Novo comentário

Reflexão da semana

O fascínio do poder - Mia Couto

 “Sucedeu connosco o que sucedeu com todas as outras nações. A política deixou de ser uma consequência dessa entrega generosa, dessa abdicação de si mesmo. Passou a ser um trampolim para interesses pessoais”   Ser político ou ser da política representou no nosso país, durante muitos anos, um risco de peso. A canção da velha Xica, do angolano Waldemar Basto, é...
<< 1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>

 

www.a-patria.com      O portal de noticias de Angola

 

 

Clique no botão Play para tocar o Ipod!

As músicas tocarão automaticamente!



 

Publicite no nosso Site!