Crônica: Mortes encomendadas e Violência em Angola andam de mãos dadas - ( II ) - Fernando Vumby

Crônica: Mortes encomendadas e Violência em Angola andam de mãos dadas - ( II ) - Fernando Vumby

 O objectivo desta crónica não é  de modo algum, o de fazer neste momento,a anatomia da impunidade criminal em Angola, ou de se  encontrar supostas raízes históricas para o sentimento de insegurança que toma conta da grande maioria dos angolanos.

 
Como cidadão comum, faço apenas uma retrospectiva de todos esses anos de convivência com um regime que, se parece tanto ou pior do que as grandes ditaduras de outrora, se tornando cada vez mais bárbaro e e por isso mesmo, indesejado.
 
Quem como eu , vasculhar os relatos mais arrepiantes sobre a criminalidade em Angola,não encontrará nada mais do que um punhado de casos em que também a própia elite governamental está envolvida. 
 
Indicadores deste facto não faltam. Só como exemplo: tudo aponta que pelo menos  75 % dos nossos governantes andam de mãos mergulhadas no mar da corrupção , enquanto fingem que nos governam.
 
Mortes que deixam grande dúvidas
 
Muitos desses casos lamentavelmente, raras vezes são revelados pela média estatal e até mesmo a privada.
 
Existem alguns exemplos concretos nunca revelados mas que são  comentados apenas em círculos restritos, geralmente entre "kambas" do peito.
 
Fala-se de mortes de figuras importantes até mesmo do regime que afinal , morrem muitas vezes não pelas versões postas a circular ou vendidas no mercado , por supostas autoridades oficiais.
Também fala-se em casos de envenenamento ou tentativas de envenamento, o  que tem criado um clima de grande desconfiança , entre camaradas do mesmo partido e da mesma bancada  parlamentar.
 
Daí  entender-se que os camaradas já não sejam aquele grupo coeso , como já foram antes da independência , pelo menos , nos centros de instrução militar , onde passei.
 
Hoje os camaradas parecem divididos em grupos entre os que fizeram recruta em Cabinda onde pontua-se o conhecido "esquadrão maiombe" do qual fizeram parte figuras como : --- Pedro Sebastião , Bornito de Sousa , Bafabafa , Kopelipa , "Bibi", Alberto Neto, Nando Malheiro , Altino , Manucho , Pedro Vieira Dias , Ady Narciso , Xana , Ngunga , Pombal , Roberto, Pety Castro e outros tantos.
 
Esse é o grupo de generais mais bem cotados e tidos como os homens que controlam um regime que parece mais militar  (porque o resto é fachada segundo informações militares), e dos que estiveram na primeira região, estando uma maioria desses hoje na reserva , como é o caso do general  Veloso , o autor duma das mais recentes obras sobre os acontecimentos do 27 de Maio de 1977.
 
Até já se envenenam entre eles
 
Não é de hoje , as eliminações  entre eles próprios e as execuções realizadas clandestina ou abertamente; enfim, a escalada de crimes praticados por ordem deste ou daquele chefe, seja por vingança ou ajustes de contas entre comadres e compadres.
 
Algumas pesquisas  destacam como práticas decorrente, a colocação de veneno na comida ou na bebida, bem como outros métodos "sofisticados" ao bom estilo Russo , Chinês ou Cubano.
 
Há mesmo quem afirme que as jovens ao serviço da secreta são mais utilizadas nesta nova forma de crime praticado , e também as mais perigosas, quando o que está em causa  é a eliminação fisica de alguém, seja ele "Kwacha" ou do MPLA.
 
Elas transportam de forma muito discreta, um pó entre as unhas (no dizer de entendidos), e num jeito bem treinado enquanto servem á vitima água ou comida enfrente aos seus olhos, basta o primeiro toque e a substância  mortal lá fica no copo ou no prato.
 
Até para isso , perdem tempo e dinheiro para treinarem secretas , como se estivássemos a viver a época do exterminio.
 
Outro aspecto ainda  mais arrepiante é a utilização muitas vezes, até mesmo, de pessoas muito próximas das vitimas, que em troca de migalhas de privilégios, não se importam de serem eles próprios os carrascos de seus queridos, sejam estes familiares ou amigos íntimos.
 
Num país onde quase todos vivem obcecados por um lugar afortunado ao sol, muitos se tornaram numa presa fácil para práticas tão desumanas e criminosas como estas. Ao ponto de até mesmo entre membros da mesma família, não existir grande confiança e o medo em ser a próxima vitima , estar bem patente no rosto de muita gente.
 
E (alguns) ainda  chamam á isso a "luta pelo pão ?"
 
Dói constatar que uma boa parte de políticos angolanos quando não morrem por qualquer outra doença, são vitimas de envenenamento criminoso, como revelam certos documentos, denuncias e pedidos de confidência até mesmo por parte de parentes das vitimas.
 
Existem casos tão arrepiantes,que a empresa estatal sempre apresenta com versões tão distorcidas para agradar "o chefe", muito longe de saberem se o mesmo precisa de toda essa graxa.
 
Síndrome do medo  obriga os que sabem a se manterem "calados"
 
E a indiferença da população diante dos crimes mais atrozes, a convivência de quase todos com criminosos de morte e o sistema de vingança enquanto o nosso bárbaro regime transforma os cidadãos em autênticos "capangas" ao ponto de semearem o medo em todos os cantos e dando asas á impunidade. 
 
Situações essas que não passam despercebidas ao olhar atento de curiosos e investigadores sensatos.
 
Como aqueles que deveriam denunciar encobrem tudo e, com o tipo de  justiça de faz de contas que temos , lá vão continuando os angolanos a viver uma vida de pimpas.
 
Cada um procura fazer ou seja, "exercer justiça pelas próprias mãos", aparecendo com "ordens vindas de cima", pela forma cruel e desumana como as coisas  se têm processado.
 
O medo de ser morto ou perseguido se não cumprir as ordens dadas, e a insegurança, fazem parte deste clima e triste vida dos angolanos vendidos, ou seja "paiados" como se diz em linguagem popular.
 
Numa Angola onde tudo parece estar de cabeça para baixo, ao ponto de até já existir tabelas para o negócio:
 
-De patentes.
 
-Tráfico de órgãos humanos , de mortos ou de vivos.
 
-Presos pagando para serem bem tratado nas cadeias.
 
-Para se conseguir emprego numa empresa famosa.
 
-Para obtenção de passaporte diplomático, seja ela carpinteiro ou padeiro.
 
-Funcionando quase tudo num ritmo normalíssimo deixando-nos a ideia de que é coisa bem organizada e esquematizada, onde cada um ganha o seu pedaço.
 
Impunidade sobe em rítmo galopante
 
 
Outro traço revelador da impunidade em Angola, decorre do tratamento diferenciado dos segmentos sociais.
 
Quantas vezes aconteceu em Angola, que um membro do governo foi para o banco dos réus ?
 
E quantos pobres, pretos e pedintes estão nas cadeias  por roubarem uma galinha, um sabão, ou por não se  porem de joelho quando o presidente passava ?
 
Enquanto continua aumentar o sofrimento físico e psicológico das vitimas da violência em Angola, consideradas como uma das mais dramáticas na África Subsariana.
 
Poucos países sofrem as acções de terrorismo urbano como as que são  praticadas  em Angola por esquadrões e bandos de corruptos, numa luta desenfreada em busca de trambiquices.
 
Vários indicadores mostram e deixam -nos a ideia de que parece compensar ser ladrão, assassino e criminoso, em Angola na luta pelo pão nosso de cada dia.
 
As estratégias reactivas da policia, eles próprios também vitimas do sistema, muitas vezes obrigados a trabalhar com fome, num país onde raramente se safa quem é honesto e os métodos obsoletos de investigação nunca conseguirão pôr fim á impunidade.
 
Esse e  outros, são o retrato do nosso sistema de controle criminal, revelador da necessidade de uma  profunda reforma em todo  sistema do país .
 
 
Tudo pela pátria & Só por ela
 

Comentario

abaixo os bufos

Nito Alves | 06-09-2010

caro irmão fernando vumbi não se de o trabalho de responder estes bufos que se venderam por um prato de lentilhas. as secretas existem é para de fender os cidadões e o pais ,asecreta angolana existe para defender a ditadura de eduardo dos santos, estes todos que falaram antes de mim são todos bufos,e tem medo por que aos poucos seram descobertos. as vossas manobras.

lol

Firefoxx | 06-09-2010

Nao ha nada nesse texto que seja novidade mas qual é a secreta que nao mata ou que nunca matou?

...enfim

kapapelo | 06-09-2010

Perdi 6 preciosos minutos da minha vida lendo baboseira.

Re:...enfim

Renderer | 06-09-2010

Porque que veem ler aqui se teem a vossa bemdit ANGO, Jornal de Angola e Rvista Cara?
Bem feito meso. E sinal de que afinal os Caxico do imperio leem as dicas dos Angolanos.
Um dia ainda apanham trombose e sera um alivio para o Pais

Diaspora

Intelectual angolano | 06-09-2010

Caro vumby, o senhor sera que é tao frustrado que nao cuida da sua imagem pelo menos?somos muito que consultamos a net, logo somos muitos que a lemos e com base nisso fazemos juizo do seu caracter.Meu caro escrever a toa é tua opçao mas tenha em conta que é com base nisso que julgaremos o seu caracter.Mostre que é um intelectual e nao um frustrado...qual o objectivo deste artigo?Pra que escrever coisas sem nexo, o que ganhamos com isso qual o proveito porque nao enviar esse pasquinzinho no club-k ou no angonoticias ja que la vai de tudo um pouco?Precisamos de um pouco de alivio de tanta babuzeira e espero que esse site nos deia esse alivio leio muita coisa interessante por aqui e espero nao ter de fugir daqui como ja fugi do club-k e do angonoticias.Por enquanto nota 10 a este site e ao angola24horas(alguem me pode dizer porque este ultimo site esta fora do ar)?

Como os outros países fazem então tbem podemos fazer

Querida Sonia Varela | 06-09-2010

Sra. Sonia varela, Estudante de Jornalismo, "tristeza"
Estudas ou vais as aulas.
pensa bem nas babuzeiras que escreveste para o teu próprio bem.
1- Que país do mundo os dirigentes nunca mataram? Será que um bom presidente tem que matar.
2- Qual a Bofia ou secreta...? Quer dizer que o trabalho da bofia é sofocar o povo?
3 - Seria muito bom que acontecesse em Angola o que aconteceu ao presidente da Guine Bissau, por esta ordem de ideias. Isso conforme o teu ultimo comentário ao (apresentar soluções) e sentido patriotico. que te referes.

Re:Como os outros países fazem então tbem podemos fazer

Sonia Varela - Luanda | 06-09-2010

Caro vumby entendo que ser criticado nao é agradavel mas pelo menos aceite as criticas porque sao merecidas.Muito obrigada.

Estudante de jornalismo.

Sou contra o regime

Ex-FAPLA | 06-09-2010

Realmente Sr. Vumby, neste artigo meteu os pé pela cabeça, quem lê depois fica sem direcção.
Sou contra o regime do MPLA. e JES
Fui FAPLA por mais de 9 anos, perdi a minha juventude PORQUÊ?
Assim como eu ha milhares de angolanos, frustrados porque não dá para entender. Hoje poderia ser medico ou Engº que sempre foi o meu sonho. Mas não, por isso sou contra este regime que se vê a bajulação, corrupção, fraude eleitoral, centralização de informação, só se fala do que interessas, o povo tem medo como os nossos pais tinham da PIDE. Independencia assin deixa estar.

hum

sacarolhas | 06-09-2010

mas este cota parece "virus" esta em todas.
gostaria de saber a sua opiniao sobre savimbi e holden roberto.
o kota os conheceu pessoalmente?
escreve algo sobre isso.

Novo comentário

Reflexão da semana

Os Últimos Dias De Savimbi - José Gama

Entre os dias 4 e 8 de  Abril  de 2001,   a UNITA reuniu a sua direcção e militantes,  para reflectir estratégias naquilo que veio a ser  sua 16ª conferência partidária cuja discussão  interna  atribuía-lhe particularidades de  um congresso. O local escolhido foi a  área de saluka, na nascente do rio Kunguene, um afluente do...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>

 

www.a-patria.com      O portal de noticias de Angola

 

 

Clique no botão Play para tocar o Ipod!

As músicas tocarão automaticamente!



 

Publicite no nosso Site!