Os Acordos de Alvor - A visão de Jonas Savimbi

Os Acordos de Alvor - A visão de Jonas Savimbi

 

Alvor: O grande logro
Dedo envenenado russo-cubano no “bolo”

angolano



As negociações que culminaram no acordo do Alvor decorreram numa atmosfera pouco franca, de falsidade até por parte da delegação portuguesa. Certo que, da sua composição faziam parte pessoas de carácter e honestidade, como o general Silva Cardoso, o tenente-coronel Gonçalves Ribeiro e alguns mais. Mas havia outros…Portugal fora obrigado a sentar-se à mesa de negociações pela dinâmica nacionalista angolana no seu todo; porém, as forças gonçalvistas, que controlavam a situação política naquele país, tudo faziam para entregar o poder em Angola exclusivamente ao MPLA.

 

A atitude de antecipação da UNITA, assinando o acordo de cessar-fogo com as forças portuguesas, muito antes de qualquer outro movimento de libertação, confundia o governo português e punha a nu os seus pontos débeis. Como era possível prejudicar um movimento que fora o primeiro a aceitar o cessar-fogo, quando o programa do MFA vitorioso visava precisamente esse objectivo?

 

Tal facto, a antecipação da UNITA, acabou, porém, por forçar o governo de Lisboa, manobrado pelo partido comunistas pró-soviético de Cunhal, a aceitar, contra a vontade, outros interlocutores, além do MPLA. A divisão deste em quatro ou cinco facções evitou também que ele pudesse ser utilizado contra os outros. Por outro lado, o factor vizinhança de Angola, sobretudo em relação ao Zaire e à Zâmbia, países que apoiavam respectivamente a FNLA e a UNITA, também jogou e teve naturalmente de ser tomado em consideração. Mas isso tudo não fazia esconder a intenção de diminuir o impacto da UNITA e da FNLA nessas negociações.

 

O reflexo desse estado de espírito no Portugal gonçalvista traduzia-se nos órgãos de informação locais, que manipulados, procuravam, enquanto as negociações decorria, intoxicar a opinião pública, fazendo-a acreditar que o MPLA tinha tido um papel preponderante na luta anti-colonial. Papel que, como era evidente, lhe queriam outorgar também no processo de descolonização.

 

Rosa Coutinho, por exemplo, que fora alto-comissário em Angola e fora introduzido "a martelo" no Alvor, com o título de observador, não deixou de manobrar nos corredores do hotel onde decorriam as negociações, apesar da posição terminante assumida pela FNLA para que tal personagem não fizesse parte da delegação portuguesa.

 

O acordo do Alvor proporcionou aos dirigentes da UNITA uma revelação surpreendente: a de que os políticos portugueses, depois de cinquenta anos de fascismo, afivelaram uma nova "máscara" , que não lhes deixava ver onde estavam os interesses do seu próprio país. De facto, nem sempre tomaram posições concordantes coma defesa desses interesses.

 

E essa defesa era o mínimo que se podia exigir de uma delegação portuguesa à mesa de negociações com a parte nacionalista angolana. Até porque se tratava da nascença de uma nova nação e tal facto, em princípio, representava a ruptura da ligação de Angola com Portugal.

 

E porquê? Visivelmente porque a delegação portuguesa estava interessada mais em agradar ao MPLA que em fazer a defesa de Portugal e dos portugueses.

 

No hotel em que nos alojamos, os delegados foram instalados de seguinte forma: no primeiro andar, os da FNLA; no segundo, os da UNITA; no terceiro, os do MPLA; e no quarto, os portugueses. Essa disposição ardilosa permitia encontros secretos permanentes à margem de possíveis indiscrições – mas os delegados da UNITA surpreenderam-nos algumas vezes – entre a delegação portuguesa e a do MPLA.

 

 

 

A definição do conceito da nacionalidade angolana, de que beneficiavam milhares de portugueses radicados em Angola, foi a questão em que a delegação da UNITA se empenhou a fundo. Pois bem, a discussão no Alvor desse tema tomou formas tais, que foi necessário que o chefe da delegação da UNITA incumbisse um dos representantes do seu movimento, Tony da Costa Fernandes, de falar com o Dr. Mário Soares, então ministro dos Negócios estrangeiros, incitando-o a que a delegação portuguesa não estivesse tão alheada dos seus interesses nacionais.

 

O conceito de cidadania angolana definido pela UNITA não teve, de inicio, a concordância dos outros movimentos. A delegação da FNLA declarou-se frontalmente contra a nossa decisão; e a do MPLA, através do seu porta-bandeira mais eminente nessa conferência, que não foi Agostinho Neto, mas sim Lúcio Lara, definiu que só os filhos dos colonos portugueses é que deveriam ser angolanos e que o problema dos colonos fosse considerado como de ulterior responsabilidade do governo português.

 

A questão da entrega dos "dossiers"da PIDE, que a delegação portuguesa queria fazer aos movimentos de libertação, representava um desconhecimento elementar dos processos de descolonização seguidos pelas outras potências coloniais. Portugal não era o primeiro país que descolonizava em África, e a delegação portuguesa deveria, pelo menos, ter-se informado das normas correctas, junto de outros países, a França e a Inglaterra, por exemplo.

 

Os que serviam e os que colaboraram na repressão do regime colonial português, não podiam de forma nenhuma, ser amigos da UNITA. Perdemos ente queridos das nossas famílias nas mãos desses carrascos; fomos por eles prejudicados na nossa vontade e no nosso direito de ascender na nossa sociedade. Pois, apesar disso tudo, nós entendíamos que o governo português devia descolonizar com dignidade e não sacrificar aqueles que serviram o regime colonial, recrutados por esse próprio regime. A atitude portuguesa podia, inclusive, ter dado azo a uma guerra civil, com começo mesmo no Alvor, através de vinganças entre partidos.

 

Apesar de todas as taras com que nasceu o acordo do Alvor, nós na UNITA, tínhamos a esperança de que a parte portuguesa honrasse a sua palavra, e que os Movimentos de Libertação, depois de quinhentos anos de dominação colonial e quinze anos de guerra de libertação nacional, aceitassem um mínimo de compromisso, para que o nosso país não fosse vítima de competições entre as grandes potências.

 

A UNITA apelou permanentemente, desde 14 de Junho de 1974, para que o governo português controlasse, só ele, o processo de descolonização, evitando interferências de potências estrangeiras. Mas nessa altura mesmo, já o partido comunista português pró-soviético fazia o jogo deliberado da Rússia. Só Portugal e o Ocidente não compreenderam essa estratégia, a longo termo.

 

A União Soviética preferiu perder Portugal, que lhe esteve quase nas mãos, porque no fundo visava Angola. Utilizou para o efeito o Partido Comunista Português, que, com a sua influência junto do governo e dos militares, precipitou a descolonização e acelerou o respectivo processo. Uma vez atingido o seu objectivo em África (Angola), aceitou que o partido de Cunhal fosse sacrificado em Portugal.

 

Alvor demonstrou, por outro lado, e para além de todas as vicissitudes, uma certa adaptação, própria do povo português, à nova situação criada. Aparentemente para uns e realmente para outros, existiu até uma certa camaradagem e fraternidade, se não à nível oficial, ao menos a nível individual, entre portugueses e angolanos.

 

Manda a verdade que se reconheça que, de um modo geral, a delegação portuguesa evidenciou a tal capacidade legendária do seu povo de se adaptar a novas circunstâncias. De estranho e de lamentável, foi que o partido comunista e o "gonçalvismo" tivessem tido assento no Alvor, com vontade manifesta de manipular em favor do MPLA e escamotear o valor histórico desse acordo.

 

Face às lições obtidas no Alvor, importa sobremaneira prever e acautelar o futuro, para novos acordos, novas negociações e novas maquinações políticas não venham nunca mais sacrificar os interesses mais legítimos e mais sagrados de um povo, vítima de séculos de dominação colonial, e hoje novamente nas trincheiras da Resistência contra o imperialismo estrangeiro.

 

O acordo do Alvor concluído, cada delegação tomou o rumo com que mais se identificava. A FNLA dirigiu-se do aeroporto de Faro para Kinshasa. A do MPLA ficou em Portugal, onde Neto de apressou a multiplicar os seus contactos com o governo gonçalvista e o partido comunista, a fim de, inteirados da sua fraqueza, estabelecerem novas estratégias. A delegação da UNITA regressou a Angola.

 

DEDO ENVENENADO RUSSO-CUBANO NO "BOLO" ANGOLANO

 

A nenhum observador atento passava despercebido o desejo de supremacia que cada um dos movimentos de libertação procurava obter sobre os restantes. Daí a uma corrida ao armamento foi um abrir e fechar de olhos.

 

Por estar enfeudado à União Soviética, o MPLA partia com certas vantagens. Devido à sua política em relação à África, a União Soviética não hesitaria em fornecer armamento, e se necessário, instrutores e mercenários, para que o movimento de Neto pudesse rapidamente guindar-se a uma posição de supremacia sobre a FNLA e a UNITA. E foi o que realmente aconteceu.

 

Os primeiros aviões, vindos do Uganda, aterraram no Luso em Maio de 1975, e desembarcaram armamento destinado ao MPLA, perante a passividade do exército português, a quem cabia, na altura, a responsabilidade da manutenção da ordem. Toda a costa angolana, mas sobretudo a compreendida entre a Barra do Kwanza e o Dande, servia para desembarque de material, isso com o conhecimento e até com cooperação das forças portuguesas.

 

Como digo atrás, cada movimento procurava afirmar-se militarmente. O MPLA era, no entanto, o mais interessado nessa corrida, pois que o jogo democrático acordado no Alvor nunca poderia facilitar os seus intentos.

 

 

 

 

A UNITA sabia, a priori, que seria a vencedora de qualquer tipo de eleições. Apesar disso, também tentou rearmar-se, também procurou meios para reforçar o seu potencial militar. Mas, por nunca se ter enfeudado a qualquer potência, não encontrou aliados, teve dificuldades. Para contrabalançar a ajuda militar soviética ao MPLA, dirigiu-se sucessivamente aos americanos, franceses, ingleses, romenos, juguslavos e alguns países africanos. Porém, os seus apelos não tiveram eco.

 

É verdade que, em dado momento, alguns países africanos amigos se propuseram armar quinze mil homens da UNITA, para que esta, assim fortalecida, pudesse servir de equilíbrio entre rivalidades antigas e ameaçadoras do MPLA e da FNLA. Foi nessa altura, que o então major Melo Antunes, numa viagem feita a Dar-es-Salam e a Lusaka, surgiu a convencer a Tanzânia e a Zâmbia de que ele, Melo Antunes, iria proceder a entrega de quinze mil armas à UNITA. Aqueles países africanos concordaram com essa proposta maquiavélica, que, no fundo, apenas visava atrasar o esforço da UNITA de armar melhor as suas forças.

 

Naturalmente que a UNITA nunca recebeu as quinze mil armas prometidas por Melo Antunes. Recebeu, sim, umas pobres mil e quinhentas G3 no Huambo – entrega que suscitou imediatamente problemas com oficiais portugueses, que cumpriam em Angola instruções do Partido Comunista de Álvaro Cunhal.

 

Com o equipamento moderno de que o MPLA se estava a dotar e coma chegada de instrutores e técnicos cubanos para as suas forças, não era difícil profetizar que dias amargos e sangrentos aguardavam a independência de Angola.

 

 

 

 

Em Janeiro de 1975, quando da formação do Governo de Transição, já havia cubanos em Luanda. O seu número aumentou em Abril, por ocasião da minha visita àquela cidade. Nessa mesma altura, Massangano já era uma base de treino do MPLA, com instrutores cubanos. Foi ainda nesse mês, também, que um avião português foi alvejado nos morros de Massangano, o que levou a Força Aérea Portuguesa a encarar a hipótese de uma acção punitiva contra aquela base.

 

Embora desconhecendo-se o seu número exacto, é indesmentível que os cubanos começaram a chegar a Angola em Janeiro de 1975. Mesmo dando de barato que em Massangano, em Luanda ou numa outra base, os seus efectivos não iam além de uma centena, é lógico que Cuba, mal a ameaça da guerra civil se desenhou mais nitidamente no horizonte angolano, se sentiu na obrigação militante de reforçar esses efectivos. Até porque o governo de Havana não devia estar nada interessado em que os seus soldados ou técnicos fossem dizimados ou capturados.

 

Qualquer argumento que tente justificar a presença de soldados cubanos em Angola como forma de contrapor a intervenção sul-africana, é, pois, redondamente falso, pois não resiste à análise dos acontecimentos.

 

Só o armamento maciço recebido da Rússia e o treino acelerado ministrado pelos cubanos às suas tropas permitiram ao MPLA recuperar o atraso militar de que sofria e combater com algum êxito a FNLA e a UNITA. Não seria, certamente, um MPLA saído da guerra colonial, profundamente dividido, com os seus elementos desgarrados, que poderia de um dia para outro defrontar os outros dois movimentos e conseguir algumas vitórias.

 

Em confronto com o poderoso equipamento militar concedido pela união Soviética ao MPLA, a UNITA apenas recebeu, dos vários países com quem contactou, quatrocentas armas. Por uma questão de rigor histórico, esclareço que esses países foram a Zâmbia, a Tanzânia, a Roménia, e o Congo Brazaville. Cada um deles ofereceu-nos uma centena uma centena de armas. Mais nenhum outro país nos ajudou.

 

E se a UNITA tivesse disponível o armamento que possui hoje (1979), na guerra contra russos e cubanos, nunca por certo teria perdido as áreas que controlava. E talvez tivesse conseguido encontrar, na altura, uma solução política.

 

(Vai continuar)

 

*Extraído do livro: "Resistência em busca de uma nova Nação" (1979), da autoria de Jonas Savimbi 

 

 

 

Comentario

POLITICA

OS POLITICOS | 27-12-2013

A POLITICA E PARA OS POLITICOS AMEM.

Viva Savimbi, Forever.. Abaixo os comunistas que matam o Povo angolano

antonio silva | 12-03-2012

Viva Savimi, Forever

Re:Viva Savimbi, Forever.. Abaixo os comunistas que matam o Povo angolano

Jose M | 09-11-2014

Perdemos um grande bode que a nossa terra já mas terá. Mas tenho a certeza que o regime ditador vai cair tarde ou cedo. O que sobe desce.

Para os angolanos segos

costa | 19-01-2012

O verdadeiro angolano e quele que nao a seita a mentira e que-lhe paga bone e camisala em quando os outros em che os bolços,o verdadeiro angolano a quele que pensa.

Menino não fala políctica

Paizinho | 02-12-2011

Menino não fala política não fala politica não fala politica não fala politica menino não fala politica não fala politica menino não fala politica não fala politica menino não fala politica não não não não

Re:Menino não fala políctica

Jose M | 09-11-2014

Pois deves falar porque és por natureza um político....

DEFESA

JULINHO | 05-11-2011

SAVIMBI Ñ ERA CORRUPTO NEM ESTRANGEIRO COMO O JOSÉ DOS SACOS

NNNNNM,,,.L...

YUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU | 26-02-2011

VVVVHJKUU YUJJOL

comentario

nda pssoka | 07-02-2011

tcha linga botuim tcha lungula ava vayua

gerra em angola

soldadu | 29-11-2010

savinbi tinha razao

Savimbão

SAVIMBINHO | 24-11-2010

Savimbi foi o melhor dos melhores

Re:Savimbão

zé dú....... | 15-03-2011

Não seria melhor os piores dos piores......savimbi so estudou para fazer guerra e nada mais.....e vcs que o defendiam seriam os primeiros a ser «FUZILADOS PELO PROPIO SAVIMBI» tupa lieni....

Re:Re:Savimbão

micha | 13-12-2011

valia a pena ser fodido pelo savimbi do que zecu dos santos

A Verdadeira Historia Só pode ser contada pelos Verdadeiros Angolanos

Owanga | 21-11-2010

Fiquei surpreendido como o Dr. Savimbi tinha naquela altura uma visão que nem os portugueses a tinha sobre a descolonização de Angola. Seja assassino ou não. Porque nunca se faz a guerra matando arvores ou formigas... Vamos la na verdade. Preciso que os leitores deste espaço me respondam; Porque quê que durante as celebrações do 35º aniversario de Angola, a Radio Nacional e a TPA recorreram aos brasileiros e sul Africanos para contarem ao mundo a historia deLibertação de Angola? Será eles sabem melhor a nossa Historia que NÓS? Meus Senhores deixem por favor usar os estrangeiros para contarem-nos a verdadeira Historia deste país. A Independencia de Angola é para todos os Angolanos e não somente de Angolanos filiados no mpla e dos outros partidos não. Os profissionais da comunicação Social em Angola por favor não continuar apoiar a visão de democracia hegemonista do mpla. Mas sim uma democracia que traz beneficios a todos. Mpla não pode continuar escamotear a HISTORIA DE ANGOLA.

Re:A Verdadeira Historia Só pode ser contada pelos Verdadeiros Angolanos

zé dú....... | 15-03-2011

DAQUI A POUCO HAVERÁ ELEIÇÕES, AÍ SIM VEREMOS QUEM VAI GANHAR....O MPLA OU A unita.....
(a unita xta que nem um café fraquinho....)

VISÃO DESCABIDAS

NGOKILEY | 15-11-2010

Para os que se fazem passar de despercebidos tenho a vos recordar que mais uma vez o Savimbi era mesmo um maluco. Mas vocês sabem melhor que ele porque ele era um psicopata, que foi a fnla quem trousse no país o primeiro exercito de mercenarios Zairense para invadir Luanda e o mpla e que para se defender, o mpla teve que recorrer ao apoio Cubano que culminou com a histórica batalha de Kifangondo.
Savimbi esquece-se dos sul-africanos que destruiram a marterizada provincia do Cunene.
Quem mandou aqueles macabros homens que ao fim sairam a correr do Cuito-cuanavale (Mavinga)? Será que estavam em apoio ao mpla?
Se Savimbi estivesse ainda vivo, devia perguntar-lhe se ja esqueceu-se dos apoios que foi buscar a todo custo nos Marrocos, Kote D'vare,Zambia e tantos outros paises para arrazar angola? Para muitos ser um grande nacionalista tem que armar-se até aos dente para tornar o seu propio país em sinzas!....
Foi uma pena aquele cão ter morrido só em 2002. Devia morrer já muito mais sedo porque o tempo que foi adiando e violando os demais acordos, só acabou por destrjuir o país que hoje está a dar muito trabalho aos angolanos do bem.

Re:VISÃO DESCABIDAS

ABC | 19-11-2010

Olá Dr. Mandavid. Agora és Ngokiley? Tens muita criatividade hahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahaha.

Verdade que deve ser dita

Anónimo | 14-11-2010

A unita não tem quadros, só tem experiência de guerra. Não serve para ser Governo.

Primeiro o Angolano - Savimbi foi nacionalista

Viva Jonas Sakaita Savimbi | 13-11-2010

ESTE HOMEM FOI UM VERDADEIRO ANGOLANO.

PRIMEIRO O ANGOLANO.

SEGUNDO O ANGOLANO.

TERCEIRO O ANGOLANO.

O ANGOLANO SEMPRE.

Re:Primeiro o Angolano - Savimbi foi nacionalista

clara | 07-01-2012

foi tão angolano, que maltratava os seus próprios irmãos de aramas escravizando-os.

Grenoble, França

Sakaíta Junior | 12-11-2010

O mpla que não se esqueça de 1 coisa: que só venceram a Unita e Jonas malheiro sakaita/savimbi graças as sançoes internacionais impostas contra esse movimento, que frailizou a Unita provocando a debandada/fuga/traiçoes de varios dos seus quadros. O MPla jamais teria consseguido vencer a Unita e savimbi se as sançoes nao fossem impostas. Mas a arrogancia do mpla acabará um dia.Como dizia salupeto Pena: "a banga um dia vai lhes acabar..."!

Re:Grenoble, França

Ngokiley | 15-11-2010

Deus escreve direito em linhas tortas.
Salupeto dizia bem.E bem dito;
Grenoble e França acho que sois segos. Deviam recordar onde é que a banga do Salopeto está sendo feita; "no semiterio."
Que descanse em paz com as maluquisses deles.
Para Savimbi e a Unita as sanções não foram impostas internacionalmente, mas sim pelo povo que ele proprio não soube respeitar.
Para quem conhece bem a historia e as razões que levaram a violação dos acordos de alvores, nunca acreditaria nesta versão descabida de um homem que já provou ao mundo que não tinha sentimentos do povo que dizia defender. Vocês achariam que a unita teria quadros capazes? se os poucos que tinha mandou fuzilar!.. A vitória do mpla vem da razõa e ´deus é que foi quem atribuiu ela ao mpla.
Saibam isso.
meu burros.

Re:Re:Grenoble, França

MPLA OIÉ.....VIVA O MPLA | 15-03-2011

Savimbi fez bem em morrer, senão nunca teriamos paz em angola e vcs sabem bem disso...defendem o man mbimbi mas no fundo sabem bem que ele não era homem de palavra, hora dizia uma coisa e noutra dizia babuzeiras....!!!!!....se a unita tivesse ganho as eleições aí vcs iriam ver o que é passar mal....seus burros ignorantes.....mas como DEUS É GRANDE ele abriu os olhos de muitos angolanos (até mesmo os que acreditavam na unita) votaram no ZÉ DÚ e no MPLA....

AGRADECIMENTOS AOS ADMINSTRADORES DO SITE

Kifumbe inacio Bettencourt | 12-11-2010

ESSE É O MELHOR ARTIGO QUE LI AQUI ESSE MES SEMPRE É BOM CONHECER O PENSAMENTO DO GRANDE JONAS MALHEIRO SAVIMBI O NACIONAISTA ANGOLANO NUMERO 1 PATRIOTA DE VERDADE VIVA O JAGUAR DAS JAGAS SAVIMBI

:D

savimbi mandava corpo o kota era rijo | 12-11-2010

savimbi foi mesmo um grande lider, so a postura do kota?agora entendo o porque é que o eduardo dos santos e todos do mpla lhe temiam, savimbi era muito chefe e mto lider coisa que o candidato natural do mpla nunca jamais vai ser por mais que ele tente!:D:D:D

Re::D

zé dú...... | 15-03-2011

Realmente ele era caenche....mas em vez de massa encefalica so tinha é barroooooo......

grande texto, viva savimbi!

Zeca diabo | 12-11-2010

este texto é um grande monumento historico. prossiigam com o bom trabalho senhores do a-patria, bem haja.
gosto da imparcialidade e do contraditorio reinante neste site, e da aparente falta de manipulaçao, cumprimentos.

Savimbi foi o maior assassino de África

Bangão | 12-11-2010

Jonas Malheiro Narigudo Savimbi foi o maior assassino de angola, conheci-o no Huambo em 1975 e so vos posso dizer que este senhor era um grande complexado. Talvez por ter aquele nariz bem grande que ele tinha. Abaixo o assassino malheiro savimbi. Viva Agostinho neto, heroi nacional. Ah, e já agora...viva tambem o MPLA.

Re:Savimbi foi o maior assassino de África

zé dú...... | 15-03-2011

Savimbi foi o maior assassino sim....matou o seu proprio povo no kuito Bié, povo que votou pela unita....ASSASSINO DE MERDA....QUE A TERRA TE SEJA PESADA.....

SAVIMBI MATOU? E NETO?

ZECAONDJIVA | 11-11-2010

Deixem-se de mentiras, Neto foi o maior assassino de angolanos...só matou uma coisinha como 65.000 angolanos no 27 de Maio sem direito a julgamento. E querem comparar Neto com Savimbi? Tratem-se...

SAVIMBI É O MAIOR ANGOLANO DE SEMPRE!

ZECAONDJIVA | 11-11-2010

Deixem-se de mentiras. Nem a mentira da existencia do pioneiro Ngangula já os pioneiros do MPLA engolem. Se leram o que está escrito pelo savimbi e não acreditam, então leiam muito mais livros que existem e provam que savimbi iria ganhar as eleições em 1975. Só quem quer tapar o sol com uma peneira é que continua a contornar esta realidade. E a verdade é que Angola hoje seria outra e muito melhor para todos os angolanos se tivessem sido cumpridos os acordos de Alvor. Savimbi e a UNITA foram traidos pelo MPLA e governo tuga. É verdade e a verdade doí, mas vem sempre ao de cima. Viva Savimbi! Viva Angola! Viva a Independência!

Re:SAVIMBI É O MAIOR ANGOLANO DE SEMPRE!

Puramente KWACHA até morrer | 12-11-2010

Concordo 100% com o seu comentario

UNITA ASSASSINA

HUAMBO | 11-11-2010

Irmao k mata irmao, patriota k aniquila o outro patriota, mais velhos k matam crianças e ANGOLANO K MATA ANGOLANO. ESSES GAJOS DA UNITA, NAO TEM VERGONHA DE DIZER QUE LUTAMOS PELA DEFESA DA PATRIA. ELES LUTARAM PORCAUSA DA MASSA. COMO DEUS E JUSTO, BATERAM NA ROCHA.

Re:UNITA ASSASSINA

gegé | 11-11-2010

Ao contrario de Dos Santos, savimbi nao era corrupto!

coitados

Minu | 11-11-2010

Em quanto o pao, a mateiga e a faca pegas no cabo faças a festa mas quando se tornares zero a esquerda veras como é bom estares neste lado do rio... Deus nunca dorme...

Bolseiro da Sonangol - Escocia

Prefiro o anonimato para nao perder a bolsa | 11-11-2010

O Savimbi, teves aspectos negativos na sua carreira militar e politica,mas a verdade diz-se que ele era o maior nacionalista que Angola ja teve. Ja mas o Savimbi deixaria o angolano a viver como se vive hoje enquando o extrangeiro a saquear o que nosso.

Bolseiro da Sonangol - Escocia

Minu | 11-11-2010

Infelizmente meu camarada muitos mwangoles aqui na banda a dormirem encima de ratazanas sempre apoiam e ajudam alguns, minoria a dormirem em limosines e castelos... um povo com cegueira mental e melhor ter o mundo so de cegos fisico... chato.

Re:Bolseiro da Sonangol - Escocia

Cão mimado | 11-11-2010

O POVO ANGOLANO É MUITA BURRO

Viva o grande heroi Savimbi

Jojó | 11-11-2010

Para os grandes homens deste mundo, e conhecedores da história mundial, Jonas Savimbi, era encomparavel, e para os biblicos ou cristãos, basta enderem quão Jesus Cristo sofreu para salvar dos pecados esta raça humana, desculpem, para os que pouco pensam ate agora não conseguem entederem a causa da luta por Angola, por parte de Jonas Savimbi. Hoje em Angola vive-se um regime muito complicado que até os analfabetos se questionam porquê? ficou na memória dos grandes lideres africanos, como Nelson Mandela, Kheneth Kaunda, Khuamen Krumam, entre outros de renome. Hai de quem não sabe. A verdade para ser descoberta leva muito tempo etc ..., ..

Savimbi o diabo da terra

ZELOSO MARIA NDUKULIA | 11-11-2010

Savimbi tinha sido inicialmente um colaborador de Holden Roberto e foi educado na Suíça. Ele também não tinha uma visão do que o Brasil era. E depois anulou-se verdadeiramente quando foi buscar a união mais repelente que ele poderia ter em África, que foi a África do Sul do apartheid. Isso foi para ele o começo do fim. Eu acho que foi altamente negativo quando ele adoptou essa protecção que lhe deu a África do Sul do apartheid

Re:Savimbi o diabo da terra

KWACHA PURO | 11-11-2010

"Quando voce esta a ser afogado nao olhas a cor nem a posiçao ideologica daquele que te estnde a mao para te ajudar a salvar-se do afogamento". - Jonas Malheiro Savimbi

Re:Savimbi o diabo da terra

Barata | 11-11-2010

O Savimbi nasceu no mesmo dia que Obama.Mas em diferente espaco de tempo. Isto significa que Savimbi seria honesto quanto Obama.

Re:Savimbi o diabo da terra

Papa pequeno | 11-11-2010

Sem a unita em luanda o pais nao teria qualquer esperanca de parar com os abusos do "dos santos"

por dentro dos acontecimentos

anonimo dos anonimos | 11-11-2010

É certo que ninguem se jubila pela morte de ninguem, mas no caso de savimbi igual Adolf Hitler,nunca o povo sofrido de Angola esquecerá,do seu terrivel efeito até agora.Savimbi e os seus correliginarios,nunca lutaram a para democracia, mas sob uma politica estrategica, para impedir que os povos da Namibia ,Africa -sul e Zimbuabe, se libertassem dos regimes do apartheid e o regime racista de Smith. savimbi sob uma capa "democratica" tinha como objectivo de destabilzar economicamente e social os paises que apoiavam a luta destes povos é o caso de angola. Savimbi pode ser para muito o seu sonho, mas ao olhos do mundo progressista eAfricano era uma VERGONHA. Pporque enquanto o mundo combatia e condenanva a prisão perpetua do grande Homem NELSON MANDELA ,Savimbi recebia apoios para que nelsom Mandela continuases preso esta foi A CHAMADA DEMOCRACIA DE SAVIMBI é a pura VERDADE.Se falam e chooram pela sua morte,o que é legitimo, o que dizer de NELSON MANDELA.Se estou enganado porquê Savimbi negou muito as vezes o patrocinios de Nelson Mandela para o processo de paz em angola.Este para mim é que é e será o grande sonho Africano (NELSON MANDELA).TeRIA muito que falar sobre este carrasco, tenho de ir tarbalhar.Um abraço. Viva a angola e neste momento rendo uma sentida homenagem ao povo sofrido de Angola.

Savimbi foi um monstro e a Unita é uma org. terrorrista

MPLA PURO - Cabinda | 11-11-2010

PS: Savimbi não foi mortopor nehum FAA. Suicidou-se com um tiro de pistola como todos nós vimos atravês da reportagem televisiva. A sua morte é muito estranha pois determinados Generais preferiram ouvir o relato do Sporting que guardar o seu Chefe...

Re:Savimbi foi um monstro e a Unita é uma org. terrorrista

ui | 12-11-2010

és tao contra o savimbi devias saber que o que o mpla tira de cabinda serviria para transformar angola numa terra super saudavel para todos os angolanos,,,mas como temos milhoes de angolanos a pensarem como tu..ainda engoles a conversa de que o pais estava em guerra e tudo vai mudar.....devias saber da magia e a fraude que se usou nas ultimas eleiçoes que finalizou na reduçao e a pouca força dos assentos dos outros partidos no parlamento....o teu voto como o de milhares de angolanos ditou a centença para mais algumas decadas de sofrimento para o povo angolano....devias saber tmbm que o dinheiro da china ate o teu neto vai pagar pq os do M estao a se encher de patrimonios bens...boa sorte e que allah olhe para os angolanos libertando-os da cegueira...

Savimbi foi um monstro e a Unita é uma org. Terrorrista

MPLA PURO - Cabinda | 11-11-2010

Coitados...vão tentar lavar a imagem deste senhor mas a história já regista:O HOMEM ERA MAU. Marcelo Caetano no seu livro "Depoimento" em Angola refere-se apenas a existência de 2 movimentos de Libertação: UPA/FNLA e MPLA. Esta UNITA só foi conhecida pelos angolanos depois do 25 de Abril devido a intervenção de um Padre Português. Na zona do Munhango onde supostamente actuava a UNITA era um tampão de soldados Flechas para impedir a progressão da Frente Leste. Quando os Kwachas vieram para as cidades estavam realmente vestidos como autênticos Flechas. A bandeira era igual a Portuguesa sendo introduzido o Galo Negro em vez do tradicional Galo de Barcelos. Quanto ao SAVIMBI, nunca foi DEMOCRATA nenhum. Era maoista e queria implantar em Angola A DITADURA SAVIMBISTA. Não era tolerante pois queria limpar todos os que estudaram nos paises socialistas de então. Enfim devemos reconhecer que tinha um grande carisma que até certo ponto me atraía mas só de pensar que era um ASSASSINO ficava todo arrepiado e esquecia este carisma. Mas se fosse um líder positivo tenho a certeza que ANGOLA estaria bem servido...MAS.....Oremos pela sua alma para que seja elevado espiritualmente, pois cumpriu a sua missão de purificar todos angolanos...

Re:Savimbi foi um monstro e a Unita é uma org. Terrorrista

ui | 12-11-2010

se continuares a viver da televisao nao vais a lado nenhum.......olha que mesmo o povo sul africano e tantos outros para eles o presidente de angola ainda é o savimbi graças a mensagem passada pelo grande e forte general mbimbi.......

Luanda-angola

anonimo | 11-11-2010

Ainda é cedo para desmistificarmos os acontecimentos recentes da nossa História e os homens que deles fizeram parte. Mas já vai sendo tempo para percebermos que a maior parte do que "sabemos" é mentira e manipulação. Nem Savimbi foi o diabo que dizem ser, nem o Neto foi o pai da Nação, nem o dos Santos é o obreiro da paz. São, foram, apenas homens. E homens pequenos. Que não foram imbuídos de um desígnio maior do que a estatura moral deles. Os dois que já estão mortos, encontram-se a contas com a justiça divina. Mas o que está vivo terá que pagar uma factura muito maior pelos 30 anos de miséria de todo um povo. A desculpa da guerra não serve mais para acobertar a incompetência, a frieza, a indiferença, a corrupção e a ignorância com que esta Nação tem vindo a ser govbernada nas últimas três décadas. Ele enriqueceu e enriqueceu a família. Tratou, por um descargo de consciência, de "proteger" os filhos do seu antecessor. Mas nada mais fez..e a Pátria agoniza. Obreiro da paz?!! Que paz?!!!! A do calar das armas. A do assassinato do opositor. Angola é filha de um deus menor

35 anos depois e a cidadania me é rejeitada mas sou angolano

angolano exilado a 10 anos fora de angola | 11-11-2010

A TI JONAS meu comandante, meu chefe, o pai da democracia angolana, estás morto, mas a sua morte representa o futuro rizonho dos teus patricios, os ideais nacionalistas que sempre proclamaste, tarde ou cedo com espirito e bravura dos teus sucessores atingiremos o teu objectivo. a ti meu comandante, a luz que ilumina a liberdade dos autochtones angolanos, a ti meu chefe, o homem que proclamou a ideologia de que 1 angolano, 2 e 3, depois vem os africanos irmaos. mesmo que hoje somos posto na ultima posicao, mas certo e seguro concretizaremos a tua profecia, para que a sua alma descanse em paz. a ti meu chefe, mesmo morto mas os teus adverssários temem a sua imagem e te caluniam dia e noite. mas a vitória é nossa, que viva Angola.

ex-servente da jamba

kandum dum | 11-11-2010

Se o sambi fosse a favor dos angolanos a dor deste homem estaria nos coracao dos angolanos ,como o nosso expresidente a gostinho neto que nunca sera esquecido no rosto dos angolanos.Viva o nosso primeiro presidente a gostinho neto.baixa os malfeitosos que contribuiram bastantes nas desgrassas do povo angolano.Savimbi foi um diabolico que nem criancas poupo.Pergunta o samacuva como o savimbi lhe bateu.E quantas pessoas ele matou.A unita sabe

Curvo-me perante a memoria do meu comandante em chefe

Ex-Fala | 11-11-2010

Savimbi fez guerra porque foi obrigado a fazer,em 1975 Savimbi não tinha grande poderio militar quem o tinha era o mpla e a fnla,estes dois é que provacaram a guerra em Angola.Agostinho Neto confiando com os russos e cubanos não queria respeitar os outros assim como a fnla confiada aos camaholas não quiz se deixar intímidar e ali foi.Agostinho Neto abandona as conversacões em Alvór(Portugal)deixando aí o Holden e Savimbi e vêm para luanda decretar guerra contra a Fnla e a Unita porque o homem não cria eleicões,não tinha medido as consequências,e para min este foi o maior culpado.Savimbi viaja de Portugal para Africa do sul e holden viaja para Kinshassa e ali veio a maior confusão que durou até a morte do guerreiro.A guerra é a contínuacão da política por meios violentos.A deturpacão de ideias e pensamentos dos políticos só terminam em guerras.A guerra de Angola fez milionários olhem para os generais,os ministros,os deputados,o presidente e a família etc,etc.Deixem o Savimbi ser enterrado na terra natal junto dos seus,se não merece a honra de Angola mas pelo menos da família

Grande Savimbi

Kwacha 100% | 11-11-2010

Um verdadeiro heroi angolano, o mais velho Jonas Malheiro Savimbi que um dia Angola e os seus verdadeiros filhos valorizarão. O mpla traiu a historia e violou todos os acordos assinados.
E Não mintam mais. Savimbi não morreu no Lucusse. Lucusse foi o local onde a imprensa chegou para captar as imagens de um combatente pela dignificação dos angolanos. Savimbi morreu em combate na nascente de um riacho que se localiza entre os rios Lunguebumgo e Luio. Este facto é tão importante que não pode ser desviado. Também importa referir que que Savimbi nao estava a procura de fuga para fora do Pais, pois, jurou sempre morrer dentro de Angola com a sua arma na mão e ao lado do soldado. Cumpriu e vamos respeitar.

Novo comentário

Reflexão da semana

Os Últimos Dias De Savimbi - José Gama

Entre os dias 4 e 8 de  Abril  de 2001,   a UNITA reuniu a sua direcção e militantes,  para reflectir estratégias naquilo que veio a ser  sua 16ª conferência partidária cuja discussão  interna  atribuía-lhe particularidades de  um congresso. O local escolhido foi a  área de saluka, na nascente do rio Kunguene, um afluente do...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>

 

www.a-patria.com      O portal de noticias de Angola

 

 

Clique no botão Play para tocar o Ipod!

As músicas tocarão automaticamente!



 

Publicite no nosso Site!